sábado, 1 de outubro de 2011

Diversidade Biológica

"A natureza tem para tudo o seu objetivo."
Aristóteles


     Dá se o nome de biodiversidade ou diversidade biológica a variedade de formas de vida existente na terra, além da variabilidade genética das respectivas espécies. Toda essa abundância de vida e suas interações proporcionaram um ambiente propício à vida humana na terra.
       Os ecossistemas satisfazem as necessidades básicas dos organismos, além proporcionarem proteção contra desastres e doenças, possui também, grande importância na cultura humana, pois muitas espécies e ambientes possuem valores místicos e simbólicos.
     Pesquisas recentes comprovam que os ecossistemas naturais são de suma importância para a vida e bem estar humano, e na medida em que se constata isso percebemos também que genes, espécies e habitats estão sendo rapidamente perdidos por meio do desmatamento, poluição e perda de habitat.
     Pensando na perda de diversidade e por sua grande importância na regulação dos processos naturais criou-se, em 1992, a Convenção sobre Diversidade Biológica que possui três objetivos centrais: a conservação da biodiversidade, o uso sustentável de seus componentes, e a repartição justa e equitativa dos benefícios advindos da utilização de recursos genéticos.
       Essa problemática merece atenção, pois os serviços fornecidos por ecossistemas saudáveis e biodiverso são fundamentais a manutenção da saúde ambiental da terra. Dentre vários serviços ambientais a maioria está em declínio, alguns deles são; água doce, a produção marinha, o número e a qualidade de locais de valor espiritual e religioso, a habilidade da atmosfera de se auto-purificar eliminando poluentes, a regulação de desastres naturais, a polinização, e a capacidade dos ecossistemas agrícolas de controlar pragas.
       A perda de diversidade diminui a resiliência dos ecossistemas, comprometendo na oferta dos serviços ambientais, sendo assim, tem-se então uma gama de organismos e processos afetados, que consequentemente afetam a economia. As consequências negativas dessas perdas são mais sentidas e severas aos povos pobres do meio rural, que dependem de forma imediata dos serviços ambientais para sua sobrevivência.
      Outro agravante é que as necessidades humanas são constantemente multiplicadas pelo crescimento da população mundial, que demanda uma grande capacidade produtiva da terra. O crescente apelo por bens de consumo pode exaurir os recursos naturais, colocando em risco a biodiversidade e a própria espécie humana.
     De acordo com dados do Banco Mundial, a maioria dos países de baixa renda experimentou declínios tanto do capital total quanto do capital natural, o que coloca em perigo o crescimento econômico. Os custos reais da perda de diversidade são difíceis de mensurar, no entanto, sabe-se que os serviços ambientais são vitais na manutenção do modo de vida e do bem-estar humano, e revela que a biodiversidade ocupa papel central no desenvolvimento econômico de um país, principalmente os mais pobres que tem como base a economia agrícola, que dependem imensamente dos recursos naturais.
     Diante disso, conclui-se que a perda de diversidade pode trazer perdas incalculáveis a economia, no entanto, inúmeras pesquisas ainda são feitas para mensurar os impactos aos ecossistemas, mas sabe-se que o impacto é altamente grave e que a biodiversidade é fundamental a manutenção da saúde ambiental da terra.

BIBLIOGRAFIA

Panorama da Biodiversidade Global 2. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas (MMA), 2006.

Vanessa Mendes e Alexsandro Carvalho

Serra dos Cocais

Nenhum comentário:

Postar um comentário